quarta-feira, 19 de março de 2014

Carta de João Calvino a Nicholas Duchemin [1528]

CARTA 1 - PARA NICHOLAS DUCHEMIN

CALVINO NA UNIVERSIDADE DE ORLEANS – SUAS PRIMEIRAS
AMIZADES – ELE É CHAMADO DE VOLTA À NOYON PELA DOENÇA DE SEU PAI.

Noyon, 14 de maio de 1528.

Como eu não acho que tenhas sido até agora corretamente informado dos motivos e circunstâncias peculiares que colocaram minha pontualidade em questão, deves pelo menos estar dispostos a admitir, que até agora tens me conhecido por ser uma pessoa por demasiado atenta, para não dizer problemática, com a frequência de minha correspondência. Tampouco tem a minha fidelidade sido tão dolorosamente posta em perigo a ponto de me deixar completamente inexcusável. Pois depois de calma consideração, cheguei a esta conclusão em minha própria mente, que toda a estima que tinhas concebido por mim durante uma longa convivência e relacionamento diário, não poderia desaparecer em um único momento, e que certa gentil cortesia, bem como sagacidade, é tão parte de tua natureza, que nada desejais imprudentemente presumir. Esta consideração faz-me sentir confiante de que eu possa ser restaurado ao teu favor, se é que algo tenha sido perdido. Receba agora, rogo-te, em poucas palavras, a causa desse atraso. A promessa feita na minha partida, de que eu voltaria em um curto espaço de tempo, embora fosse o meu desejo cumpri-la, me manteve o tempo todo em estado de expectativa. Porque quando eu estava seriamente com a intenção de retornar a ti, a doença do meu pai ocasionou a demora. Mas depois, quando os médicos deram alguma esperança de sua restauração à boa saúde, então não pensei em nada mais que o ansioso desejo de reunir-me a ti, ao qual eu estava anteriormente mui fortemente inclinado, mas que foi ainda mais aumentado depois de um intervalo de alguns dias. Enquanto isso, minha espera neste dever foi prolongada, até que finalmente não restasse nenhuma esperança de recuperação, e a aproximação da morte é certa. Aconteça o que acontecer, ver-te-ei novamente.

Dê minhas lembranças ao Francis Daniel, ao Philip, e a toda sua família.
Você já colocou o seu nome entre os professores de literatura? Veja que tua modéstia não imponha indolência sobre ti. - Adeus, querido Duchemin, meu amigo mais querido que a minha vida.

[Cópia do Latim - Biblioteca de Berna. Volume 450.]


Extaído de Letters 1528-1545 - Selected Works of John Calvin (Albany, Ages Software, 1998), vol. 4, pp. 29-30.
Tradução em 19 de Março de 2014.

Tradutor: Rev. Antônio dos Passos Pereira Amaral, ministro presbiteriano, pastor efetivo na Igreja Presbiteriana de Lagoa Santa; professor de teologia e hermenêutica na Escola Bíblica Central do Brasil/Lagoa Santa-MG; Bacharel em Teologia e Missilogia pela Escola Superior de Teologia e Estudos Transculturais/Montes Claros-MG (2003), Bacharel em Teologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie/São Paulo-SP (2013), cursando Mestrado (MDiv) em Teologia Histórica pelo Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper/SP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro leitor, a sua opinião sobre este post é muito importante. Para boa ordem, os comentários são moderados e somente são publicados os que forem assinados e não forem ofensivos, lembrando que discordar não é ofensa. Por isso, sigo alguns critérios:
(1) Reservo-me no direito de não publicar comentários de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada, por favor, identifique-se. (2) Se quiser discordar faça-o com educação, e sem usar palavras imorais ou, ofensivas! (3) Ofereça o seu ponto de vista, contudo, não aceitarei que você ensine heresia em seu comentário, e não contribuirei para que ela seja divulgada neste espaço.

Carta de Martinho Lutero a Johannes Staupitz [9 Fevereiro de 1521]

Ao reverendo e ótimo Johannes Staupitz, mestre na sagrada teologia, agostiniano ermitão, do seu progênito no Senhor. Saúde. Admira-me que ...